Top 5 da Semana

Postagem Relacionada

Como plantar Taro

Você já ouviu falar na planta taro ou na raiz de taro? Não é tarô (kkkk) é taro mesmo! Hoje trouxemos nesse artigo, um alimento natural exótico mas que é muito apreciado em algumas regiões aqui do Brasil.

Estamos falando do taro, que além de um sabor muito apreciado, tem benefícios para a saúde. Confira então como plantar taro passo a passo e outras curiosidades.

Origem

A plantação de taro teve sua origem na Polinésia como também na África Ocidental. A planta tem diversos nomes aqui no Brasil como por exemplo:

  • Taioba
  • Taioba de são tomé
  • Taiova
  • Inhame coco
  • Coco
  • Inhame gigante
  • Orelha de elefante gigante
  • Cyrtosperma merkosil

É da família colocasia esculeta e do taro planta medicinal, é consumido o rizoma (raiz). Devido a sua semelhança com outras culturas, consequentemente é confundida com inhame discorea, o cará, como também o mangará.  A raiz do taro é chamada pelos imigrantes japoneses de sato-imo.

Características

A princípio, o colmo da raiz apresenta um aspecto escamoso que nascem de rosetas, na extremidade de longos pecíolos. Tem grandes folhas que podem ter até 70 cm de comprimento. Além disso, suas folhas são condiformes, na cor verde vívido e serve como decoração. Devido ao formato de suas folhas, a planta tem o nome de orelha-de-elefante.

Seus pecíolos às vezes tem cores verdes ou violáceas e sua folhas geralmente ficam mais roxas em períodos de seca. Sua raiz é grossa e rugosa e sua parte externa varia em cores que vão do marrom ao preto, rodeados enfim por uma estrutura fibrosa.

Já o interior do rizoma é de consistência farinha e suas cores variam de branco ao rosado e quando cortado, por conseguinte, ganha nuances azulados. As plantas podem atingir até 2 metros de altura.

O taro tem as espécies mansas que o são, conforme a concentração de enzimas(proteases) e e cristais de oxalato de cálcio na planta(ráfides), característica da espécie brava. As mansas são usadas para o consumo humano. Já as bravas também são consumidas sobretudo, servem somente para alimentação dos animais.

Plantio do taro

O taro planta aromática gosta de climas tropicais e subtropicais. Ele tem as espécies mansas que o são, conforme a concentração de enzimas(proteases) e e cristais de oxalato de cálcio na planta(ráfides), característica da espécie brava. As mansas são usadas para o consumo humano. Já as bravas também são consumidas sobretudo, servem somente para alimentação dos animais e como ornamento.

A planta taro gosta de climas quentes e não se adaptam a temperaturas baixas em nenhum momento. Certamente gosta de ficar exposta ao sol o dia todo e a temperatura ideal para seu cultivo é de 25º a 35º graus. O taro se desenvolve em solo bem drenado, portanto, evite solos compactos ou muito argilosos. O pH deve estar entre 5,5 e 6,5.

O inhame coco também é cultivado em locais inundados com água corrente ou em leitos de lagoas e rios de água doce. Mas onde a água se encontra estagnada, a plantação não prospera pois pode ocorrer apodrecimento.

Como plantar taro em vasos ou horta

Surpreendentemente, apesar de gostar de estar submersa na água, a taiova também pode ser cultivada no vaso. Mas a diferença é que pedaços da sua raiz que são usadas como semente. A planta taro em vaso se desenvolve muito bem se você seguir os seguintes passos:

  • Pegue um vaso grande pois a taioba precisa de espaço com furos no fundo para boa drenagem
  • Em seguida, encha o vaso com terra simples contendo materiais orgânicos
  • Logo depois, enterre os pedaços grandes de rizoma.
  • Cubra com terra e umedeça com água
  • Também existe a opção de comprar mudas prontas em floriculturas ou lojas de jardinagem

Na horta

Como cultivar planta taro na horta? Confira em seguida nas dicas abaixo:

  • Faça covas com profundidade para acomodar as mudas ou com 10 cm para enterrar os pedaços de rizoma
  • Enterre os rizomas de 6 a 10 cm de profundidade
  • Logo depois, cubra com terra e umedeça com água.
  • Como suas folhas são muito grandes, posteriormente, será necessário amarrar o caule em estacas para sustentar a planta.

Quanto tempo demora para colher o taro?

Você pode colher as raízes de 7 a 9 meses após o plantio. Para consumo da planta taro cuidados são necessários. As folhas e pecíolos da planta também podem ser consumidos. Mas seu gosto sem um preparo não é bom. Sendo assim, é aconselhável usar suco de limão, vinagre ou suco de tamarindo para deixar o gosto mais agradável.

Como adubar o taro?

A terra misturada com restos de casca de cenoura, chuchu, batata e abóbora é excelente para fortalecer sua planta sem agrotóxicos.

Benefícios da raiz de taro

Ela pode não ser tão popular em algumas regiões do Brasil,vale a pena cultivar para consumir e desfrutar dos benefícios da raiz de taro:

  • Tem muitos nutrientes importantes para nossa saúde
  • Melhora o processo digestivo
  • Equilibra os níveis de açúcar no sangue
  • Tem antioxidantes que combatem os radicais livres impedindo o câncer
  • Promove saúde ocular
  • Tem ação vasodilatadora que melhora a fluidez do sangue
  • Equilibra a pressão arterial
  • Fortalece o sistema imunológico protegendo o organismo de várias doenças
  • Fortalece e protege o coração de várias doenças
  • Traz saúde nervos e músculos
  • É rica em fibras o que promove a perda de peso por trazer sensação de saciedade
  • Suas fibras também contribuem para a saúde do intestino
  • As vitaminas A e E presentes na raiz, beneficiam a pele, hidratando e curando com rapidez feridas ou cortes.

Pragas que prejudicam o taro

As pragas que prejudicam o ácaro são os pulgões que agem sugando a seiva da planta, posteriormente causando murcha e amarelamento das folhas. Seu extermínio é através de inseticida específico. E também pode ser atacado por ácaro que se instala nas folhas formando verdadeiras colônias que consequentemente prejudicam a fotossíntese e enfraquecem a planta.

Quando não consumir o taro

Pessoas com problemas renais devem evitar o consumo de taro. A seiva existente na planta pode causar alergias e irritações nos olhos, peles e mucosas. Por isso, durante o manuseio ou colheita, use luvas e tome muito cuidado.

 

Raquel Martins
Raquel Martins
Raquel encontrou sua paixão nos campos e vive para cultivar um mundo mais verde e sustentável. Com um amor profundo pela natureza desde tenra idade, ela seguiu seu coração e mergulhou no universo da agricultura. Nascida em uma pequena comunidade rural, Raquel absorveu os ensinamentos sobre plantio, colheita e respeito pela terra desde cedo. Sua jornada na agricultura começou como um fascínio infantil que se transformou em uma carreira e uma missão de vida. Após anos de estudo e prática, Raquel se tornou uma defensora apaixonada da agricultura sustentável. Ela acredita firmemente na importância de técnicas que preservem os recursos naturais, promovam a biodiversidade e ofereçam alimentos saudáveis para todos. Raquel também é conhecida por compartilhar seu conhecimento, ministrando workshops e palestras sobre práticas agrícolas ecologicamente corretas. Sua dedicação incansável à agricultura responsável a tornou uma referência na comunidade, inspirando outros a seguirem um caminho semelhante.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Artigos Populares